quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Falta coragem para mudar!


Li estes dias a entrevista que o Senador pernambucano Jarbas Vasconcelos deu à revista Veja. E posso notar que ele é mais um dos que abandonarão a política para se enclausurar no esquecimento enquanto outros incautos nos furtam cotidianamente. Nem sei o que pensar a respeito disto, mas fato é que estamos ficando sem armas para nos defender das imundícies do planalto.

Jarbas Vasconcelos, 66, senador pelo PMDB de Pernambuco e um de seus fundadores, foi um dos que mais lutaram contra o regime militar autoritário que vigorou no país pelo fim dos anos 60. Naquela época, afirma, "o general Médici era endeusado no Nordeste" mas "ninguém desistiu de combater a ditadura por isso". O texto parece coeso, mostrando que os culpados deveriam adornar as fileiras da prisão ao invés de figurar no Senado Federal. O lance que mais dói é quando o seu partido, em nota, afirma: "Em face da entrevista do senador Jarbas Vasconcelos, a Comissão Executiva Nacional [sic] declara que não dará maior atenção à ela em razão da generalidade das alegações"

Como uma pessoa pode aceitar que declarações do tipo "Sarney vai transformar o Senado em um grande Maranhão" e "ele não tem nenhuma condição moral ou política para ser senador, quanto mais para liderar qualquer partido", referindo-se à Renan Calheiros, seja uma declaração genérica? Estas foram declarações específicas, pois apontam um autor, um culpado. E o mais forte que conseguem produzir oficialmente é essa nota... Leiam o que diz, por exemplo, Michel Temer, presidente do partido e da Câmara: "Para nós, esse assunto não vai adiante pela fragilidade das informações". Já Sarney, presidente do Senado e do Congresso, "Eu não tenho nenhum comentário a fazer. O presidente não pode diminuir [sic] o debate dentro do Senado. Ele devia apresentar os nomes dos corruptos".

Quem lê a edição 2101 da revista Veja (desta semana), consegue ver a que ponto chega o patrimônio de um parlamentar inscrito no PMDB. Para quem sonha em enriquecer, pode apostar, nem precisa de megasena: Newton Cardoso, por exemplo, fez, em 37 anos, sua fortuna saltar de módicos R$ 4,9 milhões para impressionantes R$ 3 bi. Sabem quanto tempo se levaria para chegar a esta fortuna ganhando salário mínimo? 6.451.612 MESES!!! Simplificando um pouco mais essas contas, poderíamos chegar com um salário de R$ 1000 a esta fortuna em impressionantes 3 milhões de meses. Isso dá uns 250 mil anos... Eu não viveria o suficiente... Aliás, eu teria que economizar essa riqueza toda e pedir para que 25 mil gerações da minha família fizessem o mesmo para, ai sim, chegar neste valor.

O que ainda posso pensar da atitude de Jarbas é que ele deve estar cansado. Ou enxergar uma luta sem louros, onde ele simplesmente não se logrará vencedor — o que não beneficia os brasileiros.

Porém, o que ainda precisamos entender é que a culpa pelo nosso estado letárgico contra os escândalos recentes de corrupção que assolam o país não é de responsabilidade única e exclusiva de Jarbas ou de outro político que tenha boas intenções. A culpa é do povo, afinal, ele dispõe dos meios legais para empossar e removar do poder aqueles que usam da sua boa-fé para lhes surrupiar o dinheiro investido com impostos — impostos estes que, aliás, beiram o trilhão de Reais, se não superá-los. Se você não sabe, o seu imposto paga todas as mordomias dos políticos e não sobra nada para você no final de semana. Porém, para eles, não pode faltar.

Infelizmente Jarbas pode não estar na próxima legislatura do congresso. Pelo que pude entender de suas palavras, ele fará falta. Quem não fará, caso não se reeleja, são Jáder Barbalho, Lula, Renan Calheiros, Ana Júlia, Romero Jucá, Wellington Salgado, Newton Cardoso, Joaquim roriz, Edson Lobão e seu filho, ...

Precisamos excercer nossas escolhas com maior critério. Onde iremos acabar caso não acabemos com essas gandaias, farras, patuscadas, balbúrdias com nosso dinheiro. Não precisamos de bandidos para lidar com o nosso dinheiro no Congresso. Gastamos dinheiro demais com eles nas ruas. No congresso, melhor não!

Vamos mudar a nossa cara de babaca, palhaço ou qualquer coisa que soe engraçada. Os legisladores, executores ou juízes precisam eles mesmos saberem que ética precisa ser praticada antes mesmo que se tornem homens públicos e, tornando-se assim, as pessoas abram mão de seus sigilos. Ética, afinal, não é apenas uma palavrinha bonita...

Limpeza ética no Congresso, já!
Mudar para não morrer!


_____
Para pesquisar:
http://www.impostometro.org.br
http://veja.abril.com.br


PS: que isso não signifique mudança para o socialismo, que é o que há de pior!

2 comentários:

Thales B. D'Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thales B. D'Oliveira disse...

Não sei o que pensar dos políticos. Gostaria de uma opinião sincera dos meus leitores a respeito: O que vocês acham dos políticos? Vale até mandar eles para o quinto dos infernos!!!

Prometo publicar os comentários!!!